Agosto 30, 2021

O Valor do SASE: Separando o Produto e a Filosofia

Jim Fulton

O Gartner criou o termo Secure Access Service Edge em 2019 para uma abordagem que usa serviços baseados em nuvem para proteger as pessoas de forma consistente, não importa onde estejam. Poucos anos depois, quase todos os fornecedores de segurança entraram nesse mercado. No entanto, embora o SASE tenha sido definido recentemente, as organizações estão migrando para o modelo há muito tempo—e isso se tornou uma corrida como resultado da pandemia.

Uma arquitetura SASE move a segurança do data center para a nuvem, reinventando tecnologias que costumavam ser separadas e isoladas em segurança como serviço convergente. Permite que as pessoas em qualquer lugar—a nova força de trabalho híbrida—acessem e usem dados com segurança, em todos os lugares. Ao centralizar a administração da segurança, reduz o esforço e a complexidade de conectar pessoas à Internet com tecnologias como rede de longa distância definida por software (SD-WAN) e mantê-las seguras enquanto usam os dados de negócios.

O SASE não é um produto único: é uma arquitetura ou filosofia, de acordo com Nat Smith, analista do Gartner. Muitos fornecedores agora oferecem soluções em pacotes que podem acelerar a capacidade de uma empresa para usar SASE para apoiar trabalhadores remotos.

A adoção de serviços SASE em geral ocorre incrementalmente—abordando necessidades de negócios imediatas primeiro, depois expandindo para solucionar outros problemas ao longo do tempo. Na Forcepoint, nossos clientes estão obtendo vantagens distintas e iniciais com a incorporação de recursos de segurança fornecidos pela nuvem, como Secure Web Gateway (SWG), Cloud Access Service Broker e outros que atuam como caminho para o SASE.

Esta é a primeira parte de uma série de seis partes do blog que lançaremos nas próximas semanas.

SASE: Uma Filosofia, não apenas uma Plataforma

Quem está acessando sistemas e informações de negócios é tão importante quanto o que está armazenado. Com mais de 75% das forças de trabalho esperando trabalhar em uma programação híbrida, esse acesso está cada vez mais vindo de fora dos limites tradicionais da empresa, seja em casa, em escritórios não corporativos ou até mesmo em viagens—áreas que são difíceis de proteger.

Para muitas empresas, isso resulta na movimentação das fontes de risco do centro de sua infraestrutura para a periferia e além. O SASE usa tecnologias de rede de última geração e soluções de segurança baseadas em nuvem para estender a proteção para essas bordas, sem comprometer o desempenho ou a experiência do usuário.

A Forcepoint oferece uma ampla gama de recursos SASE, mas o que realmente nos diferencia é a maneira como colocamos a proteção do uso de dados no centro de nossa plataforma SASE. Essa mentalidade de dados em primeiro lugar é fundamental para proteger as informações de negócios e permitir que as pessoas trabalhem em qualquer lugar—remotamente, no escritório, até mesmo em viagens—integrando totalmente a segurança para acessar e usar dados confidenciais. Enquanto outros fornecedores consideram que parar as ameaças conforme as pessoas acessam web, nuvem ou aplicativos privados de data center é a linha de chegada, nós vemos isso como a linha de partida. O verdadeiro valor da segurança vai além de simplesmente proteger as pessoas online: com a estratégia certa em vigor, a segurança permite que as pessoas sejam mais produtivas, usando dados com segurança de novas maneiras, enquanto mantém a empresa segura.

Na Forcepoint, nós detalhamos os cinco passos para o SASE em profundidade. Nosso blog e a série de webinários descrevem os casos de uso mais comuns para organizações de soluções de segurança baseadas em nuvem que utilizam SASE:

  1. Proteger trabalhadores remotos na web e na nuvem
  2. Controlar o acesso a apps de nuvem e privados sem VPN
  3. Proteger o uso dos dados em todos os lugares
  4. Conectar e proteger filiais
  5. Monitorar continuamente o risco dos usuários

Gerando Valor Empresarial com a Filosofia SASE

Muitos clientes da Forcepoint em todo o mundo estão melhorando significativamente a produtividade do usuário, mantendo um alto nível de segurança usando os serviços SASE baseados em nuvem da Forcepoint. Na maioria dos casos, eles não os escolheram porque eram baseados em uma arquitetura SASE: simplesmente, eram a melhor maneira de resolver uma necessidade urgente de negócios.

Nas próximas partes de nossa série sobre o valor do SASE, compartilharemos vários exemplos de organizações que terão ressonância com qualquer empresa que esteja tentando gerenciar a segurança para uma força de trabalho cada vez mais híbrida. A seguir: A Parte 2 analisará como as equipes de segurança estão protegendo os trabalhadores remotos na web e na nuvem—e entregando maior valor em toda a empresa por causa disso.

Sobre a Forcepoint

A Forcepoint é líder em cibersegurança para proteção de usuários e dados, com a missão de proteger as organizações ao impulsionar o crescimento e a transformação digital. Nossas soluções adaptam-se em tempo real à forma como as pessoas interagem com dados, fornecendo acesso seguro e habilitando os funcionários a criar valor.

Jim Fulton

Jim Fulton is Forcepoint’s Senior Director of Product Marketing, focused on Data-first SASE and Zero Trust Data Protection solutions. He has been delivering enterprise access and security products for more than 20 years and holds a degree in Computer Science from MIT.

Read more articles by Jim Fulton