This website uses cookies. By continuing to browse this website, you accept our use of cookies and our Cookie Policy. Close

Human-Point System, a nova geração de cibersegurança.

Entender a interação entre pessoas, dados e sistemas permite o acionamento dinâmico de soluções de proteção de informações sensíveis, segurança da rede e controle dos acessos, com todos os recursos focados nas ameaças de maior risco.

Estima-se que investimentos em segurança atinjam US $ 120 bilhões até 2021, mas o número de ocorrências de perda de dados parece estar aumentando a cada dia.

Um dos maiores desafios que os CISOs de corporações e governos enfrentam é identificar riscos e prioridades em contextos que mudam a cada momento, sem que a segurança comprometa a produtividade e a flexibilidade do negócio.

A orquestração das diversas camadas de defesa com base no Fator Humano dá foco nos riscos mais relevantes e automatiza a execução dos mecanismos de proteção de dados, bloqueio de aplicações ou segregação da rede.

Assista a este webcast e entenda como soluções de DLP, firewall, CASB e outros mecanismos de proteção passam a atuar com conjunto, com base em análise do comportamento de usuários e aplicações que lidam com os dados críticos

  • Saiba como soluções centradas no Human-Point System utilizam diversas fontes de dados, capturados em tempo real, para dar visibilidade aos riscos e automatizar a execução das contra-medidas.
  • Veja como proteger ambientes com acessos e aplicações distribuídos, com usuários móveis, aplicativos em nuvem e infraestrutura híbrida (on permise e multicloud), direcionando automaticamente os recursos para os pontos de maior risco.
  • Entenda como aproveitar as oportunidades de inovação e ao mesmo tempo manter os requisitos de governança e compliance, com uma orquestração que habilita o conjunto de fontes de dados e mecanismos de proteção a bloquear ataques sofisticados, assim como identificar novos vetores de risco.


Erik Scoralick é Senior Sales Engineer da Forcepoint, empresa formada no início de 2016 a partir da integração da Websense, Raytheon Cyber Products e Stonesoft. Ingressou na Forcepoint em 2017. Entre suas responsabilidades, estão a prestação de consultoria e apoio técnico em projetos de segurança de Web, Email, Dados, Aplicações Cloud e Análise Comportamental dos usuários aos clientes da companhia no Brasil, com o objetivo de gerar negócios e garantir que os requisitos de cada projeto sejam atendidos.