Junho 29, 2021

5 Passos para SASE: Monitoramento contínuo do risco dos usuários

Jim Fulton

Série virtual 5 Passos para SASE: Passo 5, 7 de julho

Passo 5 da série #5steps2sase e parte de nossa conversa sobre SASE.

Para concluir a série #5steps2sase, vamos avaliar uma das técnicas menos discutidas e que está rapidamente se tornando o eixo da próxima geração da segurança cibernética: monitoramento contínuo de como as pessoas usam os dados. Embora praticamente todas as soluções SASE tenham foco em proteger o acesso aos dados, pouquíssimas vão além de falar em proteção de dados após o download. Como discutimos na parte 3 da série, Proteja o uso de dados em todos os lugares, isso deixa os dados expostos a furto ou uso inadequado. Em 7 de julho, eu terei o privilégio de me sentar com Sean O’Sullivan, um dos especialistas mundiais em soluções de proteção de dados e riscos internos da Forcepoint, para falar sobre como a inteligência comportamental está fechando essa vulnerabilidade e mudando a forma como a segurança cibernética é realizada.

A Forcepoint considera o SASE como a melhor forma de entregar proteção de dados de classe empresarial com base em princípios Zero Trust para todos os lugares onde as pessoas estão trabalhado e em todos os canais de comunicação que estão usando. O que faz com que a nossa plataforma SASE tenha “dados em primeiro lugar” é a forma como garante que as organizações possam manter o controle sobre como os dados que foram baixados de aplicativos de negócios são usados. Isso está em conformidade com a Special Publication 800-207 do National Institute of Standards and Technology (NIST) dos EUA. sobre Zero Trust, que fala especificamente sobre a importância de monitorar e controlar continuamente como as pessoas usam os recursos.

Sean e eu falaremos sobre como examinar o comportamento dos usuários em muitos sistemas diferentes permite que a segurança cibernética opere mais como a segurança no mundo real. Libera as organizações de precisar escolher entre políticas extremamente simplísticas de “sempre bloquear ou sempre permitir” ou políticas extremamente complicadas que tentam abranger a combinação exponencial de usuários, aplicativos, lugares, horários e muitos outros fatores. Em vez disso, os sistemas baseados em comportamento permitem que você confie nos seus funcionários, mantendo a segurança fora do caminho para que eles possam trabalhar. Então, se alguém começa a cometer erros ou demonstrar comportamento potencialmente malicioso, o sistema pode aplicar automaticamente controles progressivamente mais rigorosos. Essa nova abordagem protege a produtividade e garante que as medidas mais rigorosas só sejam aplicadas nas circunstâncias específicas que as justificam. E isso é o SASE com dados em primeiro lugar.

Como sempre, não há slides, é só uma boa conversa. Esperamos que você também goste. Inscreva-se para a conversa sobre o passo 5 hoje mesmo.

Sobre a Forcepoint

A Forcepoint é líder em cibersegurança para proteção de usuários e dados, com a missão de proteger as organizações ao impulsionar o crescimento e a transformação digital. Nossas soluções adaptam-se em tempo real à forma como as pessoas interagem com dados, fornecendo acesso seguro e habilitando os funcionários a criar valor.

Jim Fulton

Jim Fulton is Forcepoint’s Senior Director of Product Marketing, focused on Data-first SASE and Zero Trust Data Protection solutions. He has been delivering enterprise access and security products for more than 20 years and holds a degree in Computer Science from MIT.

Read more articles by Jim Fulton