This website uses cookies. By continuing to browse this website, you accept our use of cookies and our Cookie Policy. Close

Francisco Partners to Acquire Forcepoint from Raytheon Technologies.

sexta-feira, set 04, 2020

Os resultados do cliente e a experiência do usuário final são mais importantes do que números brutos para serviços em nuvem

Share

Para os provedores de cibersegurança, a presença da nuvem gira em torno de uma abordagem arquitetônica, um tópico sobre o qual escrevi recentemente. Ultimamente, percebi que alguns fornecedores estão ressuscitando velhos argumentos. E em alguns casos, eles estão introduzindo novos. Um exemplo de um argumento antigo e estreito: comparar o número de data centers, presumindo que mais é melhor. Um exemplo de um novo: executar serviços em uma nuvem pública não é eficaz. Vou dedicar algum tempo hoje para abordar ambos e compartilhar o que acredito que realmente importa.

Tendo trabalhado para uma telco durante grande parte da minha carreira, está claro que as redes e, em particular, os fluxos de tráfego, os padrões de tráfego e o uso de criptografia mudaram drasticamente na última década. Essas mudanças continuam a ser impulsionadas por uma base de usuários cada vez mais distribuída (devido ao trabalho de casa) e móvel, a necessidade de proteger os dados de ponta a ponta, bem como um conceito que gosto de chamar de gravidade dos dados.

O centro de gravidade dos dados mudou de datacenters centralizados operados pela empresa para aplicativos SaaS e cargas de trabalho em nuvem e isso representa novos desafios, especialmente em termos de conectividade e proteção de dados.

A pergunta crítica a ser feita por meio de tudo isso:

Como você ajuda seus clientes a protegerem os usuários que trabalham em qualquer lugar, acessando dados localizados em qualquer lugar, ao mesmo tempo em que atende aos requisitos de conformidade e regulamentares e oferece a melhor experiência do usuário da categoria?

Por mais de uma década, a Forcepoint oferece serviços de segurança em nuvem e proteção de dados para clientes globais em escala. Fizemos isso combinando o melhor dos dois mundos: operando nossa própria infraestrutura em data centers físicos de Nível 4 e aproveitando os serviços dos Provedores de Serviços em Nuvem (CSP). Também aumentamos isso operando um backbone de provedor de serviços global com peering público e privado que muitos de nossos concorrentes simplesmente não têm.

Na minha opinião, esta abordagem nos permite cumprir os "três L's":

  • Oferecer a melhor latência da classe
  • Garantir a localização de conteúdo eficiente - usamos pontos de presença virtuais (vPoPs) para entregar conteúdo localizado aos usuários de nossos clientes, o que, combinado com a latência, é fundamental para a experiência geral do usuário.
  • Cumprir as Leis - Em outras palavras, garantindo que permitimos que você cumpra os requisitos regulamentares e de conformidade específicos globais ou verticais. A Forcepoint supera nossos concorrentes aqui. Nossa solução de segurança da web é certificada pelo ISO27001 (que é fundamental) e apresenta GDPR, LGPD (e relacionados), ISO 27018 (que rege informações de identificação pessoal), SOC 2, bem como as certificações Star Gold da Cloud Security Alliance (CSA).

Minha recomendação, ao avaliar um fornecedor de segurança em nuvem, é ter certeza de que esses três Ls fazem parte da equação.

E quando se trata de nossa oferta, queremos permitir que você aproveite os benefícios da plataforma:

  1. A Forcepoint não cobra valores extras quando um cliente escolhe uma região em vez de outra.
  2. Todos os pontos de presença da Forcepoint oferecem nossa gama completa de serviços de segurança em nuvem e são acessíveis a todos os clientes; nenhum de nossos POPs é restrito.

Finalmente, embora a mudança para trabalhar em casa tenha impulsionado o aumento do tráfego e mudanças de padrões, a arquitetura em nuvem da Forcepoint e a grande quantidade de tecnologia nos permitiram crescer sem problemas, ao mesmo tempo em que gerenciamos nossa base de custos. E à medida que ajudamos os clientes a se manterem produtivos e seguros, continuamos a adicionar mais recursos à nossa oferta, como Data Protection as a Service e CASB in-line para nossa oferta Cloud Security Gateway, combinando componentes de data center hospedados com micro serviços baseados em SaaS e lançamos Forcepoint Private Access também! É assim que vejo uma verdadeira plataforma SASE - uma abordagem com a qual permanecemos totalmente comprometidos.

About the Author

Nicolas Fischbach

As Global CTO, Nico Fischbach drives corporate level vision, defines the research agenda, and pilots technology and architecture road maps that underpin Forcepoint's human-centric cybersecurity solutions. He is responsible for companywide innovation as well as Forcepoint X-Labs. 

In...