Setembro 22, 2021

Como duas empresas Fortune 150 economizam milhões com a Forcepoint

Bryan Arnott

A implementação de soluções de segurança cibernética líderes do setor pode resultar em um negócio mais seguro, mas os benefícios da implementação dessas plataformas vão muito além de melhoria da segurança de dados.

Proteger a forma como uma organização opera no dia a dia pode ser um contribuidor poderoso para um resultado financeiro saudável. Duas empresas da lista Fortune 150 que trabalham com a Forcepoint experimentam esse truísmo em primeira mão.

Além das vantagens óbvias de proteger a reputação da marca e evitar penalidades financeiras ao se defenderem contra ameaças à segurança, essas duas organizações estão aproveitando as plataformas da Forcepoint para resolver suas necessidades comerciais exclusivas – e estão colhendo os frutos por causa disso.

Empresa Fortune 50 bloqueia milhares de incidentes e economiza milhões em risco

Em uma era em que os dados são o novo petróleo, as informações proprietárias podem ser as mais valiosas. Ser o primeiro no mercado pode trazer enormes vantagens e garantir que as "joias da coroa" do negócio não caiam nas mãos de um concorrente é um grande desafio por si só.

No setor de telecomunicações, capitalizar em 5G mais rápido do que um rival é fundamental para ganhar participação de mercado. No entanto, equilibrar a velocidade com que uma empresa se move com a necessidade de garantir que nada vaze para fora da organização é igualmente importante.

Com a propriedade intelectual sendo acessada por milhares de funcionários, uma empresa de telecomunicações Fortune 50 precisava encontrar o equilíbrio certo entre capacitar uma força de trabalho produtiva e impedir que usuários mal-intencionados exfiltrassem seus dados mais confidenciais.

A solução? Entregar segurança de dados no endpoint para impedir ativamente que os dados saiam da organização, sem limitar o acesso às informações em si. Depois de comparar todas as soluções disponíveis, a empresa escolheu a plataforma Data Loss Prevention (DLP) da Forcepoint.

O DLP aplica contexto ao comportamento do usuário, reduzindo falsos positivos e habilitando acesso seguro para um público mais amplo do que um ambiente único pode oferecer. Após dois meses de implementação, o DLP da Forcepoint parou mais de 200.000 incidentes - estimados em milhões de dólares em redução de risco mensal.

Além disso, o sistema educacional integrado – que oferece recomendações para melhorar a conscientização dos usuários sobre a segurança dos dados em tempo real – levou a uma queda no comportamento potencialmente arriscado do usuário em cerca de um terço. A grande empresa agora pode ajustar suas políticas de segurança em escala com a frequência que desejar, permitindo que a equipe de segurança responda rapidamente às preocupações emergentes e às necessidades de negócios em evolução.

Organização Fortune 150 protege software em fim de vida útil na Internet das Coisas

A ciência moderna progrediu muito rápido, em grande parte devido às inovações significativas na tecnologia. Dispositivos médicos conectados na Internet das Coisas (IoT) fornecem resultados rápidos e precisos para os pacientes, sem necessidade de cirurgia invasiva ou um longo período de espera.

Cada vez mais, esses dispositivos conectados à IoT são alvo de agentes de ameaças que procuram um ponto de entrada em uma rede ou para causar danos em geral. Embora os repositórios de dados sejam sempre uma prioridade para qualquer empresa na área de saúde, um fabricante de dispositivos médicos da lista Fortune 150 também enfrentou a necessidade de proteger ainda mais os equipamentos de seus clientes.

A empresa sempre incluiu software antivírus no pacote do sistema operacional dos dispositivos de imagens médicas que vendia. Com o tempo, esses sistemas operacionais se tornaram plataformas legadas e não tinham mais suporte do desenvolvedor - o que significava que não podiam executar software antivírus na versão atualizada.

Atualizar o sistema operacional em cada endpoint seria uma tarefa imensa. Havia cerca de 7.000 aparelhos de ressonância magnética com software em fim de vida útil e atualizar cada um para uma versão mais recente seria um processo demorado e caro.

Em vez disso, a empresa instalou o firewall de próxima geração (NGFW) da Forcepoint. O NGFW é gerenciado centralmente a partir de um Centro de Gerenciamento de Segurança (SMC) e implementado no terminal sem qualquer interação física, tornando-o a plataforma perfeita para fornecer segurança a esses dispositivos.

O NGFW ficava na frente e protegia cada máquina de ressonância magnética na rede contra ameaças cibernéticas, evitando a necessidade de atualizar o sistema operacional subjacente. Por causa disso, a empresa conseguiu concluir o projeto remotamente e evitar milhões em custos associados decorrentes de tempo de inatividade, custos de reparos e mão de obra no local.

Como a Forcepoint pode ajudar a sua empresa?

Empresas em todo o mundo enfrentam desafios únicos de cibersegurança que podem gerar um grande valor de negócios quando resolvidos corretamente. Os líderes setoriais da lista Fortune 500 recorrem à Forcepoint para obter soluções de segurança adaptáveis, e sua organização também pode obtê-las.

Agende uma demonstração hoje mesmo para saber como a Forcepoint pode apoiar as metas de cibersegurança da sua empresa.

Bryan Arnott

Bryan Arnott is a Senior Content Marketer at Forcepoint and works primarily with customers and cybersecurity professionals to collaborate on engaging content.

Leia mais artigos do Bryan Arnott

Sobre a Forcepoint

A Forcepoint é líder em cibersegurança para proteção de usuários e dados, com a missão de proteger as organizações ao impulsionar o crescimento e a transformação digital. Nossas soluções adaptam-se em tempo real à forma como as pessoas interagem com dados, fornecendo acesso seguro e habilitando os funcionários a criar valor.